quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Nossa História


Surgimento do Grupo

O Grupo Cultural Dandara surgiu a partir do trabalho realizado pelo Instituto Cultural Raízes com a Comunidade Quilombola de Floresta/PE.

Tendo sido iniciado um trabalho de resgate histórico das tradições e expressões culturais da comunidade, verificou-se a necessidade de organizar um grupo de crianças, adolescentes e jovens que pudessem trabalhar todo o processo de resgate e ao mesmo inserir-se nas expressões culturais afrobrasileiras de forma mais ampla.

A escolha do nome

O nome escolhido é uma homenagem a Dandara dos Palmares, símbolo da mulher negra, quilombola e guerreira que –segundo relatos históricos – lutou ao lado de Zumbi no Quilombo dos Palmares.

O início das atividades

As atividades tiveram início a partir do mês de setembro de 2010, quando foram realizados os primeiros ensaios, os quais aconteceram também no mês de outubro e, sobretudo, no mês de novembro por ocasião da realização da primeira semana da Consciência Negra.


Lançamento do Grupo

O Grupo Dandara, foi lançado oficialmente em 20 de novembro de 2010 (Dia Nacional da Consciência Negra), inicialmente como um grupo de danças  afrobrasileiras e indígenas, que passou a dedicar-se a construção de coreografias/danças de Maracatu, Afoxé, Maculelê, Caboclinho, Samba de Roda, Ciranda, Coco de Roda e Xaxado.

O objetivo principal do Grupo Dandara é a divulgação e valorização das expressões da Cultura Popular, com destaque principal para as manifestações afrobrasileiras e indígenas.

O Grupo recebeu destaque e reconhecimento (sobretudo nos anos de 2010 a 2012), vindo a se consolidar como principal grupo de danças populares de Floresta e região.


Atualmente, o Grupo Dandara é formado por 10 meninas com faixa etária entre 15 e 20 anos de idade e, mantém oficinas junto ao Instituto Cultural Raízes, para formação de novas componentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário